quinta-feira, 5 de junho de 2008

Gina em: As mentiras que contamos.



Gina e Craudete eram amigas no ensino médio, na verdade, não eram muito amigas, mas tinham grandes amigas em comum que eram muito amigas de Craudete e Gina. Ela parecia uma pessoa bacana, Gina sempre a tratou com simpatia e respeito, tratou-a como uma amiga, mas nunca foi uma amiga mesmo, no máximo conhecidinha.

Com o término do ensino médio, Craudete seguiu seu rumo para faculdade de farmácia e Gina para faculdade de publicidade. Nunca se telefonaram, nunca conversaram por orkut ou msn, nunca materam contato algum.

- Oi Gina! Lembra de mim eu sou a Craudete!
- Oi Craudete como você está querida, quanto tempo hein!
- Eu estou bem e você Gina? Mudou o cabelo né, estou vendo, está mais magra.
- Ah obrigado, eu estou bem, correndo aí com as coisas da faculdade. Que coincidência encontrar você no shopping.
- Eu também estou correndo com as coisas da faculdade, farmácia é fogo!
- Precisamos marcar alguma hein! Precisamos mesmo!
- Que tal um choppinho, agente podia chamar as meninas, encontrar o povo todo.
- É mesmo Gina que legal! Vamos marcar hein!!

E nunca marcaram nada. E assim passaram alguns anos até que elas se encontram mais uma vez:

- Craudete!!!
- Gina!! Que bom te ver!
- E aí menina o que você me conta? Está super bem hein, gostei do visual!
- Ah Gina me formei, estou noiva do Ricardinho. Lembra do Ricardinho?
- Claro que lembro. Que legal que vocês estão juntos! Quando vai ser o casório?
- Vai ser no fim do ano, está longe ainda, mas estou nos preparativos! E você o que conta Gina?
- Ahh eu me formei também, estou correndo aí para me estabilizar. Também estou noiva, lembra do Marquinho? Vamos nos casar no ano que vem
- Claro que lembro, vocês já namoravam naquela época! Fico feliz por você!
- Precisamos marcar alguma hein ??
- Nossa é mesmo Craudete, quanto tempo, precisamos por o papo em dia. Esses dias fui num barzinho que tinha um choppinho divino.
- Chopp é uma boa Gina.
- Vamos marcar hein? Vamos mesmo!!

Não marcaram nada novamente, até se encontraram mais vezes, mas nunca iriam marcar. A verdade é que a simpatia impedia que elas se tratassem como meras conhecidas e a simpatia também não era suficiente para que o famoso choppinho saisse.

- Eii Eii Você não é a Gina?
- Sim e você quem é?
- Ah eu sou a Cráudia filha da Craudete. Mamãe tem uma foto sua lá em casa,
- Meu deus como você está grande menina, sua mãe sempre falava da filha mas não te imaginava uma moça tão grande. E ai tudo bem ?
- Tudo sim e você?
- Ah a correria já passou minha filha está quase do seu tamanho já e agora é só curtir o maridão
- Que bacana Gina. Podíamos marcar alguma coisa né? Um choppinho
- Pois Cráudia, você precisa conhecer minha filha. Um choppinho seria ótimo
- Vamos marcar hein? Vamos mesmo!

E então o choppinho virou herança e viveu feliz para sempre...

2 comentários:

Ivan disse...

Se tomássemos todos os chopps e cervejinhas que prometemos... melhor nem pensar.

Quanto ao link, não precisa agradecer, Gina. Gostei muito do teu blog e ele realmente merece o link. Parabéns pelo trabalho!

Um abraço.

Mauro Castro disse...

legal a história.
Obrigado pelo link do Taxitramas.
Há braços!!